EM 2010

Mateus 6.9-13

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal {pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém}!


Se em minha vida não ajo como filho de Deus, fechando meu coração ao amor, será inútil dizer: “Pai Nosso”.

Se os meus valores são representados pelos bens da Terra, será inútil dizer: “que estás nos céus”.

Se penso em ser cristão por medo e comodismo, será inútil dizer: “santificado seja o Teu nome”.

Se acho tão sedutora a vida aqui, cheia de supérfluos e futilidade, será inútil dizer: “venha o Teu reino”.

Se o que eu quero mesmo é que todos os meus sonhos se realizem, será inútil dizer: “que a Tua vontade seja feita aqui na terra como é feita no céu”!

Se prefiro acumular riquezas, desprezando meus irmãos que passam fome,

será inútil dizer: “dá-nos hoje o alimento que precisamos”.

Se não me importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar aos que atravessam o meu caminho, será inútil dizer: “perdoa-nos as nossas ofensas como também nós perdoamos as pessoas que nos ofenderam”.

Se escolho o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho de Cristo,

será inútil dizer: “não nos deixes cair em tentação”.

Se por minha vontade procuro os prazeres materiais e tudo o que é proibido me seduz, será inútil dizer: “mas livra-nos do mal…”

Se sabendo que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para me modificar, será inútil dizer: “porque Teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém!”


pastor Diego dos Santos

Anúncios